O CAOS INSTALADO

pensativa1

Olhando-se no espelho as olheiras confirmavam…  Lá dentro o caos fazia morada. Noite mal dormida.

Uma sensação de vertigem fazia com que ficasse ali parada, procurando um caminho, uma brecha, uma saída.

Escrever estava se tornando um fardo. Nenhuma inspiração ou tantas que se sobrepunham e de repente desapareciam. O que era cura, prazer, virou pesadelo. Por onde começo? Deu curto circuito. Ficava ali olhando as letras que demoravam a formar palavras. E era tudo o que precisava: palavras. Onde teriam naufragado?

No dia a dia de noticias eletrizantes bombásticas, no país que derrete literalmente e nos humilha todo dia com os demônios nos envergonhando, nos achincalhando, donos de um poder que nos causa náuseas e dá corda a bipolaridade geral, uma nau afundando e nós a deriva, perdidos, dragões soltando fogo pelas narinas, com o ódio no leme. Mas não, aqui não quero falar sobre isso. Nesse espaço reina a alma que não aguenta. Os sentimentos mais bonitos é que devem pegar as rédeas. Mas de onde veio esse desanimo?

No coração entupido e devastado por tantas emoções? Na desmotivação que se apresentou de repente? Ou apenas nas lembranças de sentimentos passados? Que estavam ali pedindo licença para entrar, e sem eles ficava vazia. A pele estava com manchas, o sol do qual não abria mão, castigava, a última foto denunciava rugas com as quais nunca se importou. Por que agora lhe causava certo desconforto? A idade? Não, o tempo. A incerteza do quanto mais lhe seria dado. O tempo é apenas um código cifrado. É o vilão .

Vamos reagir? Reconheceu ali uma vontade. Já era alguma coisa. Aprender a viver com o que não veio, o tão pedido e desejado, e ainda ocupava os santos implorando.

Mas era proibido desistir. Progresso. Tenacidade, persistência. Repetia baixinho enquanto ouvia o barulho das mensagens que entravam no seu celular jogado em cima da cama. Nenhuma que fosse a esperada.  Será?  Melhor conferir. Sentia a ausência de alguma coisa que desorganizava e precisava dessa confusão, do tumulto, mas não desse caos apático.  O rebuliço das fortes emoções, pensamentos nada perfeitos, essa energia que destravava. A sensação de festa interior.

Esse era o seu chão. Mas precisava dessa luz interna, que chega e faz com que a musica toque. Sentia-se quase uma espiã. Desejo de ficar ali na toca. Atender telefone queria não. Mas essa fuga era de que ou de quem? Sabia lá… Mas precisava também desse mistério. Dormia, acordava cheia de ideias, esperando as surpresas. Esse signo de fogo adorava uma sofreguidão.

Depois de um tempo qualquer, resolveu olhar lá para fora. O dia estava azul.*

43540131_40_22730908_7856O que é isso criatura? Ouvia o grito do azul. Vai perder isso? Me dê apenas um motivo!

Vamos botar em prática a reação. Arrumar a casa, essa bagunça não combina com você. Lugar de calcinha não é no chão.

sala mom3            Esse apartamento é pequeno para tanta vontade. Tem uma multidão nesse momento pelas ruas cumprindo suas tarefas, andando à toa. Não importa. Estavam vasculhando o mundo. Vá lá se misturar. Organize essa alegria fugidia, esse confinamento. Vai se arrepender quando o sol se por e descobrir que não viu.

Onde colocou o tênis, aquele confortável e bem velho? Na procura, passa pela cozinha e pega mais um café.  Reler esses cadernos em busca dos capítulos do tal livro que por enquanto não passa de desejo foi um erro. O detonador.

mulher-tomando-cafe-pensando-vida-bf-130-7523           Ali entendeu que nada será mais daquele jeito.

Descobriu? Está procurando a felicidade onde não pode mais alcançar? Cravando o punhal no peito ,quer o drama. Que ver o sangue jorrar porque só desse jeito poderá sentir de novo aquilo tudo.

Nas palavras que estão hoje lhe faltando, no amor que de tanto encantamento se afogou, na separação que escolheu, num momento raro de preservação total. Esse está travado, lhe pregou na cruz, tire esses pregos bíblicos e não traga agora à tona esses segredos. São eles que estão causando essa turbulência, neles você ainda não está preparada para mexer. Nada é igual. Nem mesmo você está igual. A que narrou tudo aquilo está igual? A parte mesquinha e canalha foi trabalhada e o resultado foi uma evolução. A parte bonitinha e generosa não é hoje mais evidente? Essa paralisia também não é comum. Daquela do passado ficou o exagero, e as muitas que lhe habitam.

Come pouco, emagrece, engorda, tem insônia, bebe de vez em quando, promete todo dia parar de fumar, acolhe os amigos, ama demais, sofre demais, grita , se empolga, chora por nada. E é esse corpo povoado que traz a fadiga.

O café acabou e tomou uma decisão: vencer a si mesma. E essa é uma guerra de respeito. Só de chicote na mão. Fica com o presente que está vivendo que já é muito.

Achou o tênis? Não faz disso desculpa. Tem um par de havaianas bem ali olhando para você.

11428497_931895343539745_4211758736318914654_nEnquanto se vestia os pensamentos continuavam atropelando: acho que vou morar no mato. Assim morro mais depressa. Não, no mato não, detesto por que não perto do mar? Me deslumbra e morro mais devagar.

No entanto foi a noticia da morte de Ferreira Gullar que salvou. Na televisão ainda ligada repetiam a noticia e sua poesia. Uma parte de mim é permanente, a outra se sabe de repente. A poesia nasce porque a vida é pouca. Está fora do alcance o meu fim… Foi uma pedrada na cabeça embotada.  Bateu a porta e saiu. Percebeu como era divertido viver. Estava ali olhando o céu do Rio de Janeiro, Cristo Redentor sem nuvens. O calor sufocava.

Ao passar pelo jornaleiro gritou: Antônio guarda o meu jornal!

Deu de cara com o mar, e então só lhe restou agradecer… sou uma pessoa privilegiada, tenho aqui bem perto de mim, um festival de  beleza, que me incendeia .Larga o drama, hoje não, tem muita cor essa  manhã, não combina.

Lambuzou-se com um sorvete de maracujá ,  os olhos pregados no infinito.*

10364206_1083281268364558_7698448469823919061_n.jpgLili

Sentia o caos se despedindo.

 

*Quadro Mulher na Janela de Picasso.

*Foto de minha amiga Lilibeth Azevedo gentilmente cedida por ela.

Vera Vianna

Quando trabalhava no Jornal do Brasil ao entrevistar Nelson Rodrigues foi convidada para protagonizar o filme ENGRAÇADINHA, de seu livro ASFALTO SELVAGEM, assim, ingressando na carreira artística. Hoje atriz , jornalista, blogueira e escritora.

  • Nelson Sganzerla

    Eu encontraria o velho tênis, mas as Havaianas também me serviriam, quanto as calcinhas no chão, dependeria muito da maneira como foram deixadas. Beijo Nelson Sganzerla

  • Vera Vianna

    Que delicia Nelson Sganzerla!! Adorei seu bem humorado comentário, e me saber lida por você! Obrigada! bjsss

  • Helena vitória

    Tua sensibilidade cultural me emudece. Mas os meus aplausos gritam: clap, clap, clap!!! Linda reflexão. De fato, desistir nunca. Parabéns! Bj

  • Vanda Pitol

    Você consegue Descrever como ninguém o que vai por nossas entranhas, muitas vezes me senti assim... Parafrasendo Clarice, não é no dicionário que encontrarei a palavra salvadora, afinal o dia está lindo, não combina com sua falta de cor. A salvação às vezes custa a chegar, essa paralisia íntima só toma conta de quem transborda, verter um pouquinho da sensibilidade, lambuzar-se daquilo que traz prazer, com certeza irá nos trazer de volta, àquilo que é marca registrada, excesso de amor e sensibilidade. Amei ler essa crônica, fiquei me procurando naquele velho espelho, onde tudo um dia foi muito mais fácil.

  • Vera Vianna

    Helena Vitória Obrigada por casa Clap clap.Por ter lido, por me encorajar bjsss

  • Vera Vianna

    Vanda Pitol que poesia vc. conseguiu fazer num comentário.Que coisas bonitas seu coração falou para mim. Fico prosa, fico feliz, fico mais motivada, por conseguir ser entendida e chegar até a sua alma. Obrigada amiga!!! Os olhares perfeitos são esses... não basta saber ler. bjssss e carinhos

  • Zuleika Porto

    Zuleika Porto! z.lingerie@hotmail.com

  • Zuleika Porto

    Minha querida! Esta perfeita, achei que vc contou o que está acontecendo comigo!! Falta de vontade!! na verdade Falta de tesão até pelo meu trabalho! Que amo e adoro! Acredito que todos nós estamos contaminados pela desilusão! Mas como sempre vc sempre me surpreende!! Maravilha! o artista só é reconhecido quando toca à todos no mesmo sentimento! Mil bjss! Sou sua fã de carteirinha! Estou esperando pela noite de autografo! Obrigada foi ótimo me identificar!

  • Lucia

    Muito bom!

  • Vera Vianna

    Obrigada Zuleika Porto.. é isso mesmo estamos todos num momento de desilusão. Mas somos guerreiras e vamos conseguir atravessar essa fogueira!Avanti!

  • Madja Mesquita Brandao

    ...sair das sombras ,expor se aos riscos implicados assumindo a vida e sua identidade em uma época que nada era permitido, não é para mulher comum. E o que fascina é sua coragem de não seguir o rebanho. Claro que vão surgir fantasmas, dúvidas, melancolia, incertezas mas se não tivesse mergulhado no seu eu , surgiriam muito mais e a frustração do vazio. O que vale é a sua busca constante para um caminho melhor... Eu , me identifico com cada linha escrita e você multiplicou e aprofundou os laços , expandiu e não violentou sua personalidade. Continue amiga nos iluminando com suas crônicas o nosso lado das sombras. Beijo. Madja. Avanti!

  • Vera Vianna

    Ah Madja!! Com é raro esse enocontro... como está cada dia mais difícil descobrir pessoas que saibam ler a alma... seus comentários são sempre absolutamente lindos e muito bem escritos.Obrigada amiga, pelo carinho de sempre e por mais que tudo, ler nas entrelinhas, e até o que não foi escrito.O que vagou pela cabeça, pelos caminhos da vida, e vc. percebeu, aprovou e me dá cada dia nais força, para continuar nessa nova escolha que fiz, de relatar o meu vivido. Bjssss e carinhos.

  • Vera Vianna

    De LILIAN CARUSO- Depois de um tempo qualquer, resolveu olhar lá para fora. O dia estava azul.*.." Pois é esse mistério, esse "não saber" se essa fuga era de que ou de quem, que fazem de você essa mulher que escreve e descreve, tão verdadeiramente, cada sentimento, cada alegria, duvida, esperança, solidão,cada mistério, cada segredo, revelação, e enfim , toda a dor e alegria de viver e reviver, o que está acontecendo e o que já se foi... Vera querida, vc balança a alma de cada pessoa que "lê você", e se embebeda, fica de ressaca, mas acorda no dia seguinte, renovada e com os pés correndo ao encontro da felicidade !!! Parabéns linda Vera, pessoa que mora no meu coração !!!

  • Vera Vianna

    Lilian Caruso, amiga do meu coração, cada dia mais vc. me emociona com seus comentários . As vezes, como hoje, me faz chorar! Mas um choro bom, de alegria e de motivação para continuar colocando para vcs. meus sentimentos. bjssss e obrigada sempre por tanto carinho!

  • Lais Pinto da Cunha

    VERINHA, Até quando anuncia o marasmo interior que se apossa do artista, em algumas ocasiões, a lavra do vulcão íntimo, inconsciente que faz de você uma cronista, com um estilo muito especial, explode e surpreende.....!

  • Vera Vianna

    Lais Pinto da Cunha.... seus cometários me deixam prosa! Obrigada!!! bjsss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *